Bolsonaro não gosta de gente, gosta de policial, diz Lula

Lula também criticou o indulto concedido pelo presidente ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) e chamou Bolsonaro de "Zé Ninguém" no cenário das relações internacionais do país.


Via UOL


Em clima de campanha durante ato realizado em Brasilândia, em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou Jair Bolsonaro (PL) afirmando que o presidente "gosta de arma" e "não gosta de gente, gosta de policial". "Ele não tem sentimento, ele não gosta de gente, ele gosta de policial. Ele não gosta de livro, ou estaria distribuindo nas escolas. Ele gosta de arma. Ele gosta de distribuir armas, de abrir escolas de tiro ao alvo. Ele gosta de facilitar o consumo de rifles e de pistolas. Quando na verdade o povo brasileiro não está precisando de armas, está precisando de paz. Está precisando de livro, de escola, de viver um clima de amor, de harmonia, de afeto", disse o petista na manhã de hoje.


O ex-presidente citou entre os sinais de "falta de sentimento" de Bolsonaro as reações dele às mortes de 650 mil pessoas no país por causa da covid-19 e as mais de 230 mortes nas catástrofes causadas pela chuva em Petrópolis, no Rio de Janeiro, em fevereiro.

Lula também criticou o indulto concedido pelo presidente ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) e chamou Bolsonaro de "Zé Ninguém" no cenário das relações internacionais do país.


"O Brasil tem que ter um presidente que converse com os Estados Unidos, que converse com a China, com a Bolívia, com a Argentina, que converse com o mundo inteiro. Nós temos um Zé Ninguém, que conversa com ninguém, que só sabe levantar 5h da manhã para contar mentiras", disse.

O evento no qual Lula esteve presente neste sábado reuniu mulheres para discutir o custo de vida no país. Também estiveram presentes outros petistas como o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e a presidente nacional do partido e deputada federal pelo Paraná, Gleisi Hoffmann.

7 visualizações0 comentário