Brasília tem manifestações contra e a favor do governo

Aliados de Bolsonaro se concentraram em frente ao Congresso Nacional, com trio elétrico e carro de som; presidente esteve rapidamente na Esplanada. Centrais sindicais e reúnem partidos de oposição se reuniram na Asa Norte.

Foto: Reprodução/Facebook

Via g1


O feriado de 1º de Maio teve manifestações de apoiadores do governo do presidente Jair Bolsonaro (PL), em Brasília e também de centrais sindicais, pelo Dia do Trabalho, e em apoio ao ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT).


Na Esplanada dos Ministérios, grupos em defesa do governo se reúnem desde o começo da manhã deste domingo (1º). Na altura da quadra 108, da Asa Norte, se concentram as centrais sindicais e os partidos de oposição ao governo.


Por volta das 11h30, o presidente Jair Bolsonaro esteve na Esplanada dos Ministérios e caminhou, entre os manifestantes, mas não discursou. Cerca de 10 minutos depois, ele entrou no carro e seguiu, em direção à residência oficial, no Palácio da Alvorada.

Um carro de som está próximo ao Congresso Nacional, onde ocorre a maior concentração de pessoas e governistas discursam. Mais cedo, uma motociata percorreu a principal via que liga a Asa Sul à Asa Norte.


Manifestantes contra o governo se reúnem na Asa Norte, no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Já as centrais sindicais e partidos de oposição se concentram, desde o começo da manhã, em um gramado, na 108 Norte. Além de protestar contra Bolsonaro, o grupo faz manifestações de apoio a Lula.


Muitos vestem camisetas da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e carregam bandeiras de partidos políticos de oposição, além de faixas contendo críticas a Bolsonaro. Um grupo estendeu uma faixa em nome do que chamam de "geração 68", fazendo referência ao ano de 1968, quando estudantes franceses iniciaram um protesto com reinvindicações de mudanças no país.


Na Esplanada, apoiadores de Bolsonaro levaram, pelo menos, uma faixa pedindo intervenção militar, o que é inconstitucional. Uma outra faixa defendia o deputado federal Daniel Silveira, condenado pelo STF à prisão e à perda do mandato e dos direitos políticos por estimular atos contra a democracia.

0 visualização0 comentário