Eduardo é condenado a pagar R$ 25 mil a Aziz

Filho do presidente da República associou o senador à pedofilia em postagens nas redes sociais no ano passado, em meio à CPI da Covid

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Via Metrópoles


A juíza Maria do Perpétuo Socorro da Silva Menezes, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), condenou o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) a pagar uma indenização de R$ 25 mil ao senador Omar Aziz (PSD-AM) por postagens que associavam o parlamentar à pedofilia.


As postagens de Eduardo continham um vídeo de uma fala de Omar Aziz na CPI da Covid, da qual o senador foi presidente. Na ocasião, Aziz criticou o presidente Jair Bolsonaro (PL) por ter se encontrado com a deputada alemã Beatrix von Storch, do partido ultranacionalista Alternativa para a Alemanha (AfD).

A sigla é conhecida na Alemanha por suas posturas xenofóbicas em relação a migrantes que chegam à União Europeia e, mais recentemente, por liderar protestos negacionistas em meio à pandemia de Covid-19. Beatrix von Storch é ainda neta de um dos mais importantes ministros de Adolf Hitler.


“Pelo raciocínio de Omar Aziz, se a deputada alemã Beatrix von Storch é nazista por conta de seu avô, então os netos de Omar seriam pedófilos?”, escreveu Eduardo, em 4 de agosto.

Dias depois, a juíza do TJAM já havia determinado que o deputado apagasse as postagens para “evitar dano de difícil reparação” a Aziz.


Além da condenação por dano moral, a juíza determina que Eduardo faça uma retratação pública por meio das redes sociais Twitter, Instagram e Facebook no prazo de dois dias após a notificação, sob pena de multa diária de R$ 1 mil. A decisão foi publicada na sexta-feira (29/4) no portal do TJAM.


As assessorias de imprensa dos dois parlamentares foram procuradas para comentar a decisão judicial, mas não enviaram manifestação até a última atualização desta matéria. O espaço permanece aberto.

0 visualização0 comentário