Força-Tarefa da Polícia Civil fiscaliza ferros-velhos

Desdobramento da operação 'Caminho do Cobre' tem como objetivo impedir o comércio clandestino de materiais metálicos

Marcos Porto/Agência O Dia

Via Jornal O Dia


Mais de uma tonelada de fio de cobre foi apreendida em cerca de dez ferros-velhos da Zona Norte do Rio, alvos de operação da Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (26). Eles são identificados como os possíveis fornecedores de grandes recicladoras, sendo os primeiros a comprarem os materiais roubados das empresas de prestação de serviço público, além de estarem localizados em áreas com o maior número de crimes deste tipo. Cinco estabelecimentos foram interditados, até o momento desta reportagem, e cinco pessoas foram presas. A ação tem como objetivo reprimir e prevenir ao comércio ilegal e furtos de materiais metálicos.


Acabar com a rota criminosa de roubos de cabos de cobre e outros equipamentos de concessionárias públicas, como baterias estacionárias, materiais de ferrovias, geradores, transformadores e placas metálicas, é uma das finalidades do desdobramento da operação 'Caminho do Cobre'.


De acordo com a Polícia Civil, a Força-Tarefa pretende evitar a volta constante desse tipo de crime, tendo em vista que a legislação para a infração envolvendo furto e receptação de equipamentos de concessionárias permite que os responsáveis presos sejam soltos em pouco tempo, voltando a praticar os mesmos atos.


"É a segunda operação da Força-Tarefa criada especialmente para fiscalizar ferros-velhos e recicladores. Com a nova regulamentação em vigor, eles têm 90 dias para se adequar às exigências dela, vir aqui na DRF e solicitar a emissão de documento comprovando uma série de quesitos", disse o delegado titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), Luiz Henrique Marques. "Após esse prazo de 90 dias, o estabelecimento não poderá funcionar sem essas documentações exigidas", completou. Segundo o delegado, a operação também é uma demanda da sociedade por causa do crescente número de furtos de bens. "São bens de pequeno valor, cobre, que são vendidos para alguns ferros-velhos, contrariando a lei. Não são todos, mas alguns insistem em comprar produtos de crime e, agora, vamos fiscalizar", finalizou.


Além de fiscalizar a origem dos materiais metálicos para o comércio de sucata, a Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) também vai verificar a regularidade das normas ambientais nesses ferros-velhos e checar se há alguma irregularidade para ser investigada pelas Delegacias de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) e de Defesa de Serviços Delegados (DDSD).


A operação também tem como objetivo orientar os donos dos ferros-velhos e recicladoras fiscalizadas a respeito da nova edição da Resolução nº 365 de 2022, da Secretaria de Estado de Polícia Civil, que regulamentou a concessão de Registro de Autorização de Funcionamento (RAF) dos estabelecimentos que atuam nesse seguimento, em acordo com a Lei 9.169/2021.

0 visualização0 comentário