Lula é criticado por adversários após fala sobre policiais

A fala do petista ocorreu neste sábado (30) ao participar de um encontro na Brasilândia, na zona norte de São Paulo

Via CNN


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recebeu críticas nas redes sociais de adversários políticos após ter dito que Bolsonaro “não gosta de gente, gosta de policial”.


A fala do petista ocorreu neste sábado (30), ao participar de um encontro na Brasilândia, na zona norte de São Paulo.


Leia abaixo o trecho completo da fala:


É bom a gente saber o que gente faz com o nosso voto, porque hoje a gente está com um presidente que não derrubou uma lágrima por 650 mil pessoas que morreram por causa da Covid. Não derrubou uma lágrima pelo o que houve em Petrópolis, no Rio de Janeiro. Porque ele não tem sentimento. Ele não tem sentimento. Ele não gosta de gente, ele gosta de policial. Ele não gosta de livros, se não ele estaria distribuindo livros didáticos nas escolas. Ele gosta é de arma, ele gosta é de distribuir armas. Ele gosta de abrir escola de tiro ao alvo. Ele gosta de facilitar o consumo de rifle e de pistola quando, na verdade, o povo brasileiro está precisando não de arma. Está precisando de paz. Está precisando de livro. Está precisando de escola. Está precisando efetivamente viver num clima de amor, num clima de harmonia, num clima de afeto.
Lula

Após o discurso, começaram a ser compartilhado pelas redes sociais vídeos com um recorte da frase dita por Lula.


No Twitter, Bolsonaro escreveu que “defende o cidadão de bem”. “Enquanto uns acham que policial não é gente e que tem que soltar jovens ladrões, traficantes e latrocidas, nós sempre defendemos o cidadão de bem. Boa noite a todos!”, disse o presidente.


Outro adversário político de Lula, o candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT), também se manifestou pelo Twitter.


“Lula apertou o acelerador na corrida para superar Bolsonaro em asnice. Quando disse que ‘Bolsonaro não gosta de gente, gosta de policial’, Lula cometeu não um ato falho, mas uma ação indesculpável de discriminação e desumanidade”, disse Ciro.


“Será que o Brasil está irremediavelmente condenado a assistir o triste espetáculo de uma campanha, onde um presidente e um ex só fazem proferir absurdos, incapazes de apresentar propostas para nos tirar da calamidade que estamos vivendo?”, acrescentou.


Outras personalidades apoiadoras de Bolsonaro aproveitaram a fala para criticar o ex-presidente. O pastor Silas Malafaia, por exemplo, disse: “Continue a falar asneiras. Para ele, ladrão de celular que mata pessoas é um pobre coitado, policial não é gente. Vergonha total.”


Procurada pela CNN, a assessoria de Lula afirmou que a fala foi distorcida. “Não representa crítica aos policiais, mas ao fato que Bolsonaro não liga nem discursa para todos, só para algumas categorias”, disse.

0 visualização0 comentário