Para deputado bolsonarista, Sergio Camargo foi cruel ao falar de Moïse

Deputado Otoni de Paula criticou o presidente da Fundação Palmares, que colocou no jovem Moïse a culpa do próprio assassinato.

Foto: Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados

Via Metrópoles (Coluna Guilherme Amado)


O deputado Otoni de Paula, do PSC do RJ, disse que o presidente da Fundação Palmares, Sergio Camargo, foi “cruel e insensível” ao dizer que o jovem Moïse era um “vagabundo morto por outros vagabundos”.


De Paula, do PSC do RJ, prepara um duro discurso contra Camargo, a ser lido nesta terça-feira na Câmara dos Deputados, conforme informou a colunista Berenice Seara.


Em seu perfil no Twitter, Camargo disse que Moïse foi um “vagabundo morto por outros vagabundos”. “Isso é de uma crueldade, de uma insensibilidade, de uma falta de empatia muito grande”, ponderou Otoni.


Para De Paula, declarações como a de Camargo prejudicam Jair Bolsonaro na sua tentativa de se reeleger. “Esse é momento de conciliação. O presidente precisa falar mais ao centro e essas declarações simplesmente afastam esse eleitorado do centro de que o presidente tanto precisa”, resumiu.


Diante disso, De Paula defende que o presidente chame “esses personagens do governo que costumam falar mais diretamente para alguns eleitores que gostam dessas declarações e dizer a eles que este não é o momento de alimentar a parcela pequena que quer ouvir isso”. Esses votos já são de Bolsonaro.

0 visualização0 comentário