Rio poderá ter programa para amparar jovens de abrigos que completam 18 anos

Proposta do deputado Bruno Dauaire propõe que o acolhimento seja estendido por mais dois anos

Foto: Thiago Lontra / Alerj.

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou, em primeira discussão, o Projeto de Lei 3.838/18 que cria um Programa de Amparo aos Jovens Oriundos de Instituições de Acolhimento. A proposta do deputado Bruno Dauaire (União) prolonga a estadia, por mais dois anos, daqueles que completam os 18 anos. A proposta recebeu 14 emendas e volta ao plenário.


Pelo programa, o desligamento poderia até ser prorrogado por mais tempo, seguindo critérios da avaliação da equipe responsável. No período de prolongamento, deverão fazer parte dos serviços oferecidos a preparação e o encaminhamento para o mercado de trabalho, bem como acompanhamento e auxílio para adaptação à vida autônoma e independente fora da instituição.


"Pela legislação, os adolescentes institucionalizados são obrigados a deixar os abrigos quando completam 18 anos. Mas essa saída é difícil e, muitas vezes, esses jovens vão parar nas ruas. Por isso, é preciso oferecer a eles amparo e meios sustentáveis nessa transição para a vida adulta", defende Bruno Dauaire.

O autor do projeto considera que as repúblicas, que abrangem o público de 18 a 21 anos, se aproximam da proposta do projeto, mas que não há número compatível com a demanda. Ele defende a ampliação dessas instituições, auxílio emergencial aos jovens e foco na qualificação deles.


"Precisamos aumentar o número de repúblicas e instituir o programa de acolhimento, com ampliação da oferta de qualificação desses jovens, que vai desde a formação profissional, a bolsas de estudos e programas de estágio", acrescenta o deputado.



12 visualizações0 comentário