Homem é preso por estupro e morte de mulher

Rita de Cássia Perez, de 47 anos, foi encontrada morta em um terreno abandonado no bairro Santa Izabel no último domingo (8).

Foto: Reprodução

Via g1


A Polícia Civil do RJ afirmou neste domingo (15) ter prendido o homem que estuprou e matou Rita de Cássia Perez, de 47 anos, há uma semana.


Agentes da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo prenderam Luciano Crespo de Jesus, por força de mandado de prisão temporária, pelo crime de homicídio qualificado.

Ele confessou os crimes.


“Luciano já tinha um histórico familiar de estupro, já que o irmão já havia sido preso pelo mesmo crime, e seria usuário de drogas. Rita estava indo para a casa do ex-companheiro, um trajeto curto, quando foi abordada pelo suspeito”, disse o delegado Pablo Valentim.

O corpo de Rita foi enterrado na última terça-feira (10), no Cemitério Municipal de Ipiuba, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.


Rita foi encontrada morta na manhã do último domingo (8), em uma área de matagal, no bairro Santa Izabel. Segundo os policiais que foram até o local do crime, Rita foi enforcada por uma câmara de ar de pneu após ser estuprada.


Segundo os PMs, ela ainda tentou lutar para se livrar do agressor, pois as unhas estavam com resquícios de pele.


"A Rita foi avistada pela última vez no sábado (8), por volta das 20h. Ela estava saindo de sua casa em direção a casa do companheiro dela e não conseguiu chegar até o seu destino. Infelizmente, ela teve o seu caminho interrompido", contou Jepherson Rodrigues, primo de Rita.


Muito querida no bairro, Rita deixou três filhos, sendo uma menina menor de idade. Todos eles vão passar por acompanhamento psicológico financiado pela Prefeitura de São Gonçalo.


Alzira Oliveira, vizinha de Rita, contou que o local onde a amiga foi morta era uma passagem comum para os moradores do bairro e que agora está com medo de circular pela região.


"Eu passava muito por ali e é muito tranquilo aquilo ali. Eu passava muito pelo caminho que ela passava, pra fazer compras, ir na casa da minha irmã. Agora eu fico com medo de passar ali", contou Alzira.

0 visualização0 comentário