Petrópolis: Tragédia completa três meses

Mais de 8 mil famílias do município se inscreveram para recebimento do aluguel social, mas apenas 1295 receberam o benefício

Clauber Cleber Caetano/PR

Via CNN


A maior tragédia da história da cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, completa três meses neste domingo (15). A forte chuva que atingiu o município provocou enchentes, uma série de deslizamentos de terra e mais de 240 mortes. Três vítimas ainda estão desaparecidas.


Segundo a prefeitura, não há mais pessoas desalojadas em abrigos. No entanto, atualmente, uma das principais demandas da população atingida é o acesso ao aluguel social, benefício no valor de R$ 500 para cada família. O cadastro conta com mais 8,1 mil famílias.


Morador da Vila Felipe, o gerente comercial Gustavo Simões teve a casa parcialmente destruída e o que sobrou está condenado. À CNN, ele destacou a dificuldade em conseguir um auxílio do poder público diante dos prejuízos.


“Na minha família, a gente agradece muito a Deus porque não tivemos perdas de vidas, tivemos sim perdas materiais, mas tivemos vários vizinhos que perderam várias pessoas. Nesses três meses, a rotina de todo mundo, não só da minha família, mudou. A gente vive em função de estar na casa de alguém, estar pedindo ajuda a alguém. E até neste momento, coisa que a prefeitura já vem prometendo há bastante tempo, não tivemos nenhum auxílio. A gente fica morando mesmo de favor”, lamentou.


A CNN questionou o município sobre a reclamação de Simões, que também é feita por outros moradores da cidade, e aguarda um retorno. De acordo com a prefeitura, até o dia 6 de maio, 1.295 haviam recebido aluguel social, mas mais moradores estão sendo incluídos. No total, 1,9 mil contratos de recebimento do benefício foram firmados.

0 visualização0 comentário