Agora é lei: estado poderá ter programa de capoterapia

A norma reconhece o Instituto Brasileiro de Capoterapia (IBC) como instituição capacitada para o treinamento e formação destes profissionais

Foto: Reprodução/internet

Via Alerj


O Programa de Capoterapia - que utiliza os movimento e a musicalidade da capoeira como prática terapêutica - será criado no Estado do Rio. É o que estabelece a Lei 9.701/22, de autoria do deputado Wellington José (PODE), que foi sancionada pelo governador Cláudio Castro e publicada na edição extra do Diário Oficial desta quinta-feira (02/06).


Além de difundir a prática, o programa pretende universalizar e democratizar a prática da capoterapia em todo o Estado do Rio, com objetivo de promover a saúde física e mental, bem como a melhoria da qualidade de vida de seus praticantes. O texto também propõe que a terapia tenha seu uso incentivado em ambientes públicos, como escolas, parques e praças.


A norma reconhece o Instituto Brasileiro de Capoterapia (IBC) como instituição capacitada para o treinamento e formação destes profissionais. O Poder Executivo está autorizado a celebrar convênios com instituições públicas ou privadas.


“Essa prática encontra-se associada à promoção da saúde e qualidade de vida, e quando voltada para pessoas idosas, visa a contribuir para o envelhecimento ativo por meio de uma nova forma de terapia corporal. Além de promover o convívio social, a prática da capoterapia também contribui para a melhoria da coordenação motora, da força muscular, da autoestima, diminuição da depressão e do cansaço crônico e na prevenção de doenças”, declarou o autor.
2 visualizações0 comentário