Pastor é preso acusado de estuprar filhas de fiéis

Homem dizia para as vítimas que era 'bandido' e que não tinha medo que elas engravidassem

Ludmila Lopes (RC24h)

Via Jornal O Dia


Um pastor foi preso nesta terça-feira (14) em Itaboraí, na Região Metropolitana, suspeito de estuprar duas adolescentes da mesma família que eram filhas de membros de sua igreja. Ele foi localizado no bairro Ampliação.


De acordo com as investigações, o homem teria violentado uma das vítimas pelo menos três vezes, quando ela ainda tinha 11 anos. O religioso utilizava o trajeto da casa da menina para a igreja para cometer os abusos, se aproveitando da confiança da família da menina. No caminho, ele parava o carro um pouco antes de chegar à igreja e, dentro do veículo, abusava sexualmente da menor.


A segunda vítima do pastor foi abusada quando tinha 17 anos, por duas vezes. Segundo as investigações, ela teria procurado o pastor durante um momento de fragilidade, após ter sofrido assédio por outra pessoa. Ele, por sua vez, se prontificou a buscá-la no local onde teria sofrido o abuso e, também durante o trajeto até a igreja, a violentou dentro do carro. Na segunda vez, familiares da jovem pediram ao pastor que a buscasse em um curso, e, na volta para casa, ocorreu um novo estupro.


Segundo o delegado Filipi Poeys, titular da 118ªDP (Araruama), que comanda as investigações, o pastor ainda dizia ser "bandido" para as suas vítimas e que não tinha medo de que elas engravidassem.


"Ele dizia que era pastor da igreja para dentro, e da igreja para fora era homem. Também falava que poderia fazer um aborto em 'dez minutinhos com o remedinho' que ele daria a ela", afirmou Poeys.


Segundo o delegado, o acusado possuía outras duas igrejas onde ministrava, além da localizada em Itaboraí. Uma em Macaé e outra em Rio Bonito. Ele também informou que o preso foi encaminhado para o presídio de Benfica, na Zona Norte do Rio.


Contra o pastor, havia um mandado de prisão expedido pela Justiça. O caso está registrado na 118ª DP (Araruama).

0 visualização0 comentário